A Daiane entrou em contado comigo esta semana para me apresentar ao seu blog, Vivo Verde, “destinado a todo e qualquer assunto de termos “ambientais”, seja ele voltado ao solo, mineração, vegetação, saneamento, hidrologia, geoprocessamento, meteorologia e mudanças climáticas, resíduos Sólidos, poluição, desmatamento dentre outros.”

Como muitos devem saber, moro em uma pequena e pacata cidade em North Carolina desde 2006. Antes disso passei mais de 15 anos morando no noroeste de New Jersey, tão perto de New York City que era dificial saber quando terminava um e começava o outro estado (não fosse pelo pedágio de US$10 para atravessar a ponte George Washington todos os dias quando ia trabalhar). Quando me mudei para North Carolina, deixei para trás toda correria e rítimo “cut throat” conhecidos de uma cidade como New York City, mas tamém troquei os arranha-céus por áreas mais verdes e uma comunidade que dava mais prioridade ao ambiente, família, qualidade de vida, e sussego.

A princípio era estranho como que as pessoas eram tão genuinamente educadas e bem humoradas… como que o ar tinha um “cheiro diferente” (que eu sempre falava: “Ahh… é assim que natureza chaira?”), e como as pessoas entendiam quando você tinha de sair mais cedo do trabalho porque você não queria perder a apresentação de sua filha na escolinha. Para quem vivia sempre tendo de escolher entre a família e o trabalho por tantos anos, esta mudança foi muito mais que bem-vinda.

Uma das coisas que nos atraiu logo de início foi a atitude positiva sobre a preservação da natureza e como ser mais ativos (e não passivos) seres humanos. Minha esposa é a “culpada” por introduzir tudo que existe de bom na nossa família sobre este assunto, e é muito bacana ver nossas filhas crescendo já conscientes de preservar a natureza, usar menos energia e água, e evitar materiais plásticos. Hoje em dia, sou uma das pessoas que evita usar copos plásticos no trabalho, e tento ao máximo reciclar o pouco que uso.

Fiquei muito feliz de conhecer o blog da Daiane e espero que vocês também o apreciem.


Comments

comments powered by Disqus